quarta-feira, 11 de maio de 2011

O "outro" Algarve




Este Algarve não tem mar,não tem praias, não tem resorts ou SPA’s de luxo...


Mas neste Algarve, ouve-se o silêncio, respira-se o ar puro…

Há ribeiros que correm, há pássaros que cantam…







Há cascatas...



e fontes seculares de água fresca e cristalina…




Há pontes de xisto  e histórias de moiras encantadas…





Há o solo argiloso de terra vermelha, campos de flores exuberantes, percursos de água e o verde das árvores e arbustos…











Cheira a esteva e rosmaninho…




As tradições sobrevivem e os sabores são mais intensos…



Aqui há paz, há tranquilidade e parece que o tempo ficou suspenso na tarde que se estende preguiçosa para além do infinito que se avista neste mar de cerros arredondados…











Descubra este Algarve no próximo fim-de-semana e vá à aldeia de Cachopo (Coordenadas GPS: 37.3326371/ -7.8179829),







onde irá decorrer a feira de artesanato, que dá a conhecer os produtos da região.







No quiosque “O Moinho” pode pedir para ir visitar o Museu Vivo que retrata o ciclo do linho e da lã. Pode ainda visitar a “Lançadeira” (289 844254), oficina de artesãs onde pode observar como se fazem os trabalhos em linho.


D. Otília (imagem retirada  da Net) contacto 289844140


Existe também um núcleo etnográfico e antropológico que retrata a cultura e os costumes do povo da serra.

Não pode deixar de visitar a fonte férrea, antigo local de lazer dos algarvios abastados, que a procuravam pela sua água rica em ferro com propriedades medicinais .
Hoje, é local de passeio de beleza ímpar, com piscina e local de piqueniques.












Pode comer no restaurante "Charrua" (918465789), ou no "Retiro dos Caçadores" (289844174). Com marcação prévia é possível apreciar deliciosos pratos de caça (lebre, perdiz, javali,etc.).


Existem também diversos percursos pedestres que pode fazer e que estão incluídos nas travessias da "Via Algarviana".

Pode ainda visitar, no lugar de “Vaqueiros”, o parque mineiro "Cova dos Mouros", que retrata os vestígios de actividade mineira pré-histórica existentes na região e onde é possível fazer garimpagem e andar de burro.


Para mais informações consulte: Centro Paroquial de Cachopo e Memória Portuguesa.






...e esta beleza tão simples
que anonimamente se ergue
amando o vento que sopra,
as flores coloridas que
namoram com o verde,
a água que passa ligeira
acariciando os pés da criança
que feliz solta uma gargalhada
e espanta o pássaro
que voa no céu de eterno azul...

Precisará o viver de muito mais do que isto?





6 comentários:

  1. Fiquei maravilhada com estas fotos e com a descrição... gosto de sítios assim... calmos, com natureza e histórias para contar.
    Vou anotar este destino para visitar. Obrigado Manuela. Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito desse Algarve, vai para a minha lista de viagens!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Esse Algarve, sim, gosto.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. O Algarve que muita gente não conhece, que saudades da minha infancia, do cheiro do pão cozido no forno da minha avó, do doce mel das colmeias do meu avô.
    Obrigada por esta recordação

    ResponderEliminar
  5. Adoro esta zona do Algarve, Tavira, é a minha favorita!Não conheço esta aldeia, mas fiquei muito curiosa. Adoro sítios que não são massivamente turísticos!
    Obrigada pela partilha!
    Beijinhos

    ResponderEliminar