quarta-feira, 25 de maio de 2011

Declara-se que está oficialmente aberta a época de caça ao caracol!


Com os caracóis não há meio-termo: ou se amam ou se odeiam!
Se alguns ficam com o estômago embrulhado só de pensarem em comer estes bichinhos, para outros trata-se de um verdadeiro manjar dos deuses!
Eu faço parte do segundo grupo. Basta os dias ficarem mais compridos e quentinhos para me apetecer um belo petisquinho de caracóis.
E, ninguém os faz melhor que a minha querida mana!
Com a devida autorização, aqui vai a receita e a foto-reportagem da caracolada com que ela nos presenteia muitas vezes.





CARACÓIS À MODA DA CELESTE



Ingredientes:

  • Caracóis - 2 Kg
  • Alhos - 2 cabeças
  • Sal - 1 mão cheia
  • Cubos de caldo de carne - 2
  • Paus de orégãos
  • Cominhos - 1 c. chá
  • Casca de limão
  • Malagueta - opcional




 Preparação:
Lavar bem os caracóis em água corrente.
Podem ser lavados dentro do saco de rede, e só nas últimas águas é que se lavam num alguidar.




Colocar num tacho com água a cobrir e levar ao lume muito brando para que os caracóis comecem a sair bem da casca.
Manter uma vigilância apertada para que eles não fujam (que bichinho irrequieto!). Se isso acontecer, correr muito para conseguir apanhá-los e voltar a colocá-los no tacho.


Quando já estiverem todos mortos (que maldade!), aumentar o lume, até começar a ferver e levantar espuma.




Retirar a espuma que se vai formando com uma escumadeira.



Em seguida, colocar todos os temperos excepto o limão, e mexer com os paus de orégãos.
Deixar cozer cerca de 5 minutos.





Desligar o fogão e colocar a casca de limão, tapar e deixar repousar.




Dicas:

- O tacho deve ser grandinho porque ao ferver, levanta espuma, e deve ferver forte porque torna-se mais fácil tirar a espuma que fica por cima.

- O caldo deve ficar salgado, só assim os caracóis tomam de sal.

- Não se  deve deixar cozer em demasia, porque os caracóis não sabem bem moles.

- Se demorar a servir, retirar a casca de limão e os paus de orégãos para não amargar.





 

Depois, bem apetrechados com as "armas" necessárias, começa a verdadeira caçada... no prato!




Degustar! Devagar! Com tempo! Boa companhia! Pãozinho com manteiga de alho! Conversa solta! Cerveja geladinha! Fim-de-tarde quente! Beber o caldinho! Soltar uma gargalhada! Família reunida!



domingo, 15 de maio de 2011

"Marmitar"


 
 
A propósito do hábito que está a (re)nascer de levar o almoço para o trabalho, a  Carla do Blog De cozinha em cozinha passando pela minha, criou um novo espaço chamado Marmita Expresso. Aqui ela pretende dar  receitas e dicas  para preparar a Marmita.
 
Para mim, esta é uma prática rotineira desde há muito tempo. Aliás, devido às características do meu trabalho, na maior parte dos dias, esta é mesmo a única forma de poder almoçar.
 
Quando se dispõe de microondas, para poder aquecer a comida, não há qualquer problema em arranjar o almoço. Basta ter sopa e fazer maior quantidade ao jantar para levar no dia seguinte. Quando não há forma de aquecer é que se torna um pouco mais difícil. Mas com alguma imaginação conseguem-se refeições apetitosas e agradáveis.
 
Mostro-vos a minha lancheira (já famosa lá pelos meus lados!), que comprei há alguns anos no Carrefour, vai tudo bem acondicionado em pouco espaço e as caixas são optimas, pois vedam bem, levam a quantidade certa, podem ir ao microondas e , apesar de já terem uns anos,ainda estão como novas.
 
 
 
 
 
Não sei se ainda se comercializam, pois nunca mais vi à venda. Mas penso que é possível comprar pela Net. A marca é Valira.
 
 
Imagens retiradas da Net
 
 
 
   Existem no mercado muitos modelos de lancheiras: pequenas, grandes, modernas, retro, mais práticas, mais fashion, enfim, para todos os gostos.
 
 
 
Imagens retiradas da Net



Para quem tem algum dom para a costura, na  Lemon squeezy home ensinam a fazer lancheiras caseiras.

DSCF0906



  
   Kyarabean, ou bento (lê-se bentô), é uma palavra japonesa que significa lancheira do almoço. Mas no Japão (e não só) os bentos são muito mais do que simples lancheiras, são uma verdadeira arte ao transformar a comida em divertidos e coloridos desenhos.


Imagem retirada de http://vaiquevai.com.br/


    A origem deste hábito vem das mães japonesas que tentavam decorar as lancheiras de modo divertido para incentivarem os filhos a comerem o almoço todo. No entanto, esta prática difundiu-se de tal modo que, hoje em dia, existe uma verdadeira "bentomania", com diversos acessórios para as lancheiras, livros e até concursos sobre este assunto.

   A Anette do Blog  Freak Veggie é uma adepta dos bentos.

   Mesmo não percebendo nada de japonês, também vale a pena passar pelo blog e-obento, da Mari Miyazawa, para ver as imagens destas verdadeiras obras de arte. 
 

   A Joana Roque no Blog A economia cá de casa tem receitas maravilhosas para levar na marmita.


   O Blog Os amigos da Marmita também foi criado com o objectivo de dar ideias para  as pessoas que preferem levar a comida de casa para o trabalho. E até criaram um grupo de partilha no facebook.


   Seja com mais ou menos originalidade, com mais ou menos trabalho, as vantagens de levar o almoço para o trabalho são muitas:
  • economia de tempo
  • economia de dinheiro
  • saber aquilo que se come
  • poder decidir as ementas
  • alimentação mais saudável
  • alimentação mais variada
  • comer a horas

Então, do que está à espera? Como diz a Carla, toca a "marmitar"!




 Estes lunch bags podem ser adquiridos aqui
 
 
 
 
 
 


quarta-feira, 11 de maio de 2011

O "outro" Algarve




Este Algarve não tem mar,não tem praias, não tem resorts ou SPA’s de luxo...


Mas neste Algarve, ouve-se o silêncio, respira-se o ar puro…

Há ribeiros que correm, há pássaros que cantam…







Há cascatas...



e fontes seculares de água fresca e cristalina…




Há pontes de xisto  e histórias de moiras encantadas…





Há o solo argiloso de terra vermelha, campos de flores exuberantes, percursos de água e o verde das árvores e arbustos…











Cheira a esteva e rosmaninho…




As tradições sobrevivem e os sabores são mais intensos…



Aqui há paz, há tranquilidade e parece que o tempo ficou suspenso na tarde que se estende preguiçosa para além do infinito que se avista neste mar de cerros arredondados…











Descubra este Algarve no próximo fim-de-semana e vá à aldeia de Cachopo (Coordenadas GPS: 37.3326371/ -7.8179829),







onde irá decorrer a feira de artesanato, que dá a conhecer os produtos da região.







No quiosque “O Moinho” pode pedir para ir visitar o Museu Vivo que retrata o ciclo do linho e da lã. Pode ainda visitar a “Lançadeira” (289 844254), oficina de artesãs onde pode observar como se fazem os trabalhos em linho.


D. Otília (imagem retirada  da Net) contacto 289844140


Existe também um núcleo etnográfico e antropológico que retrata a cultura e os costumes do povo da serra.

Não pode deixar de visitar a fonte férrea, antigo local de lazer dos algarvios abastados, que a procuravam pela sua água rica em ferro com propriedades medicinais .
Hoje, é local de passeio de beleza ímpar, com piscina e local de piqueniques.












Pode comer no restaurante "Charrua" (918465789), ou no "Retiro dos Caçadores" (289844174). Com marcação prévia é possível apreciar deliciosos pratos de caça (lebre, perdiz, javali,etc.).


Existem também diversos percursos pedestres que pode fazer e que estão incluídos nas travessias da "Via Algarviana".

Pode ainda visitar, no lugar de “Vaqueiros”, o parque mineiro "Cova dos Mouros", que retrata os vestígios de actividade mineira pré-histórica existentes na região e onde é possível fazer garimpagem e andar de burro.


Para mais informações consulte: Centro Paroquial de Cachopo e Memória Portuguesa.






...e esta beleza tão simples
que anonimamente se ergue
amando o vento que sopra,
as flores coloridas que
namoram com o verde,
a água que passa ligeira
acariciando os pés da criança
que feliz solta uma gargalhada
e espanta o pássaro
que voa no céu de eterno azul...

Precisará o viver de muito mais do que isto?





terça-feira, 3 de maio de 2011

Aproveitar bananas maduras (I)

  
 Quando as bananas ficam demasiado maduras, o que por vezes acontece rápido demais, é difícil fazer com que a maltinha cá de casa as coma! Assim, há que inventar para não haver desperdício.






TARTE DE BANANA

Inspiração:   site da Vaqueiro


Ingredientes: 
  • 1 c. sopa de farinha Maizena
  • 60 gr de açúcar amarelo
  • 2 ovos
  • 2 dl de leite de coco
  • 3 dl de leite
  • 300 gr de bolachas de aveia
  • 50 gr de margarina
  • 4-5 bananas
  • canela em pó


Preparação:

- Esfarelar as bolachas e misturar com a margarina de modo a obter um preparado com consistência ideal para ser trabalhada.
- Forrar o fundo de uma tarteira com este preparado e reservar.

- Misturar a farinha Maizena com o açúcar.
- Juntar os ovos e mexer bem.
- Adicionar os leites.
- Levar o preparado ao microondas, na potência máxima, por 10 a 12 minutos, mexendo com a vara de arames 3 ou 4 vezes durante este tempo.

- Por cima da massa de bolachas dispor as bananas cortadas em rodelas e cobrir com o creme preparado.
- Deixar arrefecer um pouco e polvilhar generosamente com canela.



  


Uma delícia!